Como acelerar o processo de transformação digital?

Gestores de empresas que ainda trabalham operando com sistemas legados certamente já começaram a perceber que eles não estão dando mais conta das demandas. O perfil do mercado e dos consumidores mudou, e as tecnologias precisam ser reformuladas para atender às exigências impostas por ele.

Para não correrem o risco de perderem posições ou mesmo serem colocadas para fora do mercado, as empresas precisam, obrigatoriamente, se transformar digitalmente.

E uma das maiores necessidades das organizações que ainda não se transformaram é fazer isso rapidamente, para ficarem no mesmo nível que seus concorrentes ou acima deles. Mas uma transformação digital rápida pode ser inviável para as companhias se feita da forma tradicional.

A seguir, falaremos sobre os desafios impostos pela transformação digital rápida e também sobre as maneiras de contorná-los.

Por que a transformação digital rápida é tão desafiante?

A  empresas que ainda não se transformaram digitalmente precisam fazer isso o quanto antes porque necessitam:

  • manter-se igualadas com os seus concorrentes que já se transformaram;
  • ficar uma posição à frente de concorrentes que ainda não se transformaram;
  • livrar-se de tecnologias obsoletas que geram altos custos, tomam grande parte do tempo da equipe e não atendem às demandas do negócio de forma eficaz.

Portanto, quanto antes elas se transformarem, melhor. O problema é que uma transformação digital não acontece de um dia para o outro. Pode levar anos, dependendo do quão legada a infraestrutura está e do quão “desintegrados” os sistemas e fontes de dados estão.

Uma transformação, se feita da maneira tradicional, por meio do intenso trabalho de desenvolvimento, demanda:

  • muito tempo da equipe de TI, que terá muito trabalho para mudar a estrutura de dezenas ou centenas de sistemas, o que a impedirá de se concentrar em atender às necessidades da empresa;
  • uma significativa quantidade de recursos financeiros, que, em época de crise, são extremamente valiosos e não podem ser desperdiçados em projetos que não gerarão valor no curto prazo.

É por esses dois motivos que, hoje, a modernização e a integração de múltiplos sistemas e fontes de dados não é um projeto a ser realizado no curto prazo por muitas empresas, mesmo ele sendo crucial para a sua sobrevivência no mercado.

Como, então, contornar esses desafios?

Para serem ágeis, as equipes de TI devem deixar de lado a abordagem de modernização tradicional, que consiste no desenvolvimento intenso. O que elas precisam é utilizar uma abordagem revolucionária, como a oferecida pelo sistema de gerenciamento de dados K2View Data Fabric.

O que esse sistema faz é implementar uma camada de dados integrada nos sistemas legados e fontes de dados. Essa camada extrai os dados de todos os sistemas e as envia para o K2View Fabric.

A partir daí, a empresa passa a contar com todos os benefícios desse sistema, como o processamento mais ágil, a busca mais rápida por informações específicas de clientes, a redução drástica de custos e o aumento da segurança das informações.

Dessa forma, a empresa acaba modernizando e integrando seus sistemas e se transformando digitalmente, mas sem promover um intenso trabalho de desenvolvimento, que pode demorar anos e demandar uma significativa quantidade de recursos financeiros.

E enquanto a organização vai utilizando um sistema que a ajuda a obter um maior valor de seus dados e a atender às demandas do mercado e dos consumidores, sua equipe vai dedicando parte de seus esforços a iniciativas de transformação maiores.

Hoje, essa é abordagem mais eficaz que as empresas têm à sua disposição para se transformarem rapidamente e não serem postas para fora do mercado.

Como a sua empresa lida com os desafios impostos pela transformação digital? Deixe seu comentário!

Deixe uma resposta